segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Antes de adormecer

Passei a acreditar nas rosas perfumadas. Em equações sentimentais e opções controversas. Passei a pensar sobre as pessoas, sobre a chuva e sobre a solidão. Encontrei algum sentido em sentir. Descobri a beleza da imperfeição. A vida imperfeita me encanta, me faz mais real.
Minha carne está respondendo aos estímulos, e se dilacera em agonia tanto quanto meu coração traiçoeiro. Minhas pálpebras estão prontas pra se fechar de cansaço, sem saber o porquê de adormecer enquanto a vida acontece. Não quero perder nenhum segundo de consciência. Essa consciência absurda me assusta. É um perigo para os fracos.
Sentidos, sentidos. Entenda como quiser.


D.

5 comentários:

  1. Olá!
    Gostei dos teus escritos!
    Seguido-te!
    Bjs!
    Conheça meu blog --> http://wwwautenticidade.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. De uma profundidade sensível e sem igual..
    Algo tão íntimo e raro que tem que ser passado para o papel...
    Muito bom o texto..

    ResponderExcluir
  3. Despertar para o sensível é como comer do fruto da árvore do bem e do mal. Ganha-se a oniciência do auto-conhecimento, e o livre flutuar das idéias. Porém, descobre-se nú e miserável em um mundo de tanta perversidade.

    ResponderExcluir